segunda-feira, 6 de abril de 2009

OS MILAGRES DE SAI BABA



No início de sua vida adulta, muitas vezes Sai Baba deixava o corpo quando um devoto, longe de onde ele estava, lhe pedia ajuda. Quando isso acontecia, seus discípulos mais próximos cuidavam do seu corpo físico. Certa vez, ele precisou deixar o corpo no início da noite, e, então, os discípulos o deitaram na cama. De repente o corpo levitou e começou a flutuar ao redor do quarto. Cinzas sagradas emanavam dos seus pés em abundância. Os devotos ouviram-no murmurar: "Maharshi está aos meus pés de lótus". Pouco depois, ele desceu e se acomodou na cama. No dia seguinte, o ashram recebeu a notícia de que Ramana Maharshi, o santo da Índia que havia alcançado a realização em Deus, morrera às 21h da noite anterior, exatamente no momento em que Sai Baba levitara.
Em outra ocasião, Sai Baba proferiu uma palestra em seu ashram, embora todos soubessem que ele estava numa casa em outra parte da Índia. Em outras palavras, ele esteve em dois lugares ao mesmo tempo durante dois dias. Uma outra vez, seu carro ficou sem gasolina.Sai Baba disse ao motorista para ir até o rio encher o balde com água. O motorista foi ao rio, apanhou a água e entregou o balde a Sai Baba. Sai Baba pôs o dedo na água e a transformou em gasolina; depois de despejá-la no tanque, eles continuaram a viagem.
Outra vez, ainda, ele viajava com algumas pessoas, e pararam para almoçar. Sai Baba perguntou: "Que fruta vocês querem comer?" Cada um queria uma fruta exótica, algumas das quais nem existiam na Índia. Sai Baba disse-lhes: "Vão até aquela árvore e apanhem-na". Ao olhar para a árvore, viram que ela havia produzido a fruta que cada um desejara.
Uma das histórias mais notáveis é a de que um dia Sai Baba estava caminhando com um dos seus discípulos ocidentais mais antigos, John Hislop. Sai Baba inclinou-se, apanhou um graveto e, por uns dez segundos, imprimiu à mão um movimento que em geral indicava que iria materializar alguma coisa. De repente, um belo crucifixo de madeira se fez visível, com uma imagem em metal de Jesus Cristo pregada nele. Sai Baba disse-lhe que o crucifixo representava exatamente a aparência que Jesus assumira na cruz ao ser crucificado. E disse também uma coisa extraordinária: que a madeira do crucifixo era a mesma da cruz em que Jesus havia sido crucificado. Sai Baba acrescentou que não era fácil materializar essa madeira porque havia se decomposto na terra, o que lhe exigira um tempo a mais para realizar a materialização. Sai Baba presenteou o crucifixo a John Hislop, que ficou profundamente sensibilizado. Ao voltar aos Estados Unidos, ele submeteu o crucifixo ao teste do carbono para precisar sua data. O cientista confirmou: o crucifixo tinha dois mil anos.
Um casal de americanos idosos de nome Sr. e Sra. Walter Cowan eram devotos de Sai Baba há longo tempo. Eles viajavam pela Índia quando, certa manhã, Walter Cowan teve um ataque cardíaco e morreu numa cidade distante do ashram de Sai Baba. A esposa tentou enviar um telegrama a Sai Baba, mas não conseguiu entrar em contato com ele.
Seis ou sete horas depois, Sai Baba, tendo recebido o telegrama, apareceu no hospital. A família e os amigos de Walter já haviam saído. Sai Baba disse aos administradores do hospital que gostaria de ver o corpo de Walter Cowan. Eles o conduziram até o quarto e se retiraram. Cinco minutos depois, Sai Baba e um Walter Cowan totalmente vivo saíram do quarto caminhando. Os funcionários e os médicos do hospital ficaram desconcertados. Para dizer o mínimo. Walter Cowan, então, voltou para sua mulher e para sua família; quando o viram, também eles quase tiveram um ataque do coração.
Walter disse aos seus familiares que, enquanto estivera morto, Sai Baba permanecera com ele no mundo espiritual. Ele fora levado junto com Sai Baba através de dimensões de realidade até uma câmara de conselho repleta de pessoas dispostas em torno de um presidente. O presidente tinha junto de si pergaminhos que continham o registro das vidas passadas de Walter, e durante duas horas lera esses pergaminhos em voz alta. Walter Cowan estava surpreso com todas as suas vidas dedicadas ao serviço e à ajuda das pessoas. Terminada a leitura, Sai Baba disse ao presidente que Walter ainda não havia terminado sua missão na Terra e que queria levá-lo de volta para que ele pudesse concluí-la. O presidente concordou, e então Sai Baba levou Walter de volta para seu corpo físico, onde ele despertou perto de Sai Baba!
Outra história ainda mais impressionante é sobre um casal de indianos, devotos de Sai Baba.O marido recebeu o diagnóstico de uma doença extremamente grave, e todos os médicos diziam que ele morreria a qualquer momento. Sua mulher passou um telegrama para Sai Baba, pedindo ajuda. Sai Baba respondeu que iria visitá-los. O homem piorou e acabou morrendo. Sua mulher voltou a telegrafar para Sai Baba, que novamente disse que iria vê-los. Passou-se um dia, passaram-se dois dias. A rigidez da morte tomava conta do corpo. Um terceiro dia se passou, e a família desistiu de Sai Baba. Foi quando ele, inesperadamente, apareceu.
Todos os familiares do morto lamentavam sua perda. Sai Baba disse-lhes que queria ficar a sós com o corpo morto. Ele fechou a porta e, segundo a história, pronunciou um dos seus "faça-se", muito semelhante ao que Jesus fez quando disse: "Lázaro, levanta-te!" O homem acordou depois de ficar morto durante três dias! Sai Baba deu-lhe um chá quente e lhe disse que sua família estava preocupada, e que ele deveria sair e consolá-los.
Uma outra vez, Sai Baba caminhava com um geólogo conservador, bastante fechado às coisas do espírito. Enquanto caminhavam por um bosque, Sai Baba apanhou uma pedra e perguntou ao geólogo, "O que é isto?" O geólogo respondeu: "É uma pedra, Baba." Sai Baba disse, "Não, não! Mais fundo, mais fundo!" O cientista respondeu, "São átomos e moléculas vibrando a uma certa velocidade." Sai Baba, "Não, não! Mais fundo, mais fundo!" O geólogo ficou perturbado e disse, "Eu não sei, Baba; o que é?" Segurando a pedra, Sai Baba soprou nela e a transformou instantaneamente numa estátua do Senhor Krishna, bem diante dos olhos do geólogo, que ficou em estado de choque. Então Sai Baba disse: "Coma-a." O geólogo disse, "O quê?" Sai Baba repetiu, "Coma-a." A estátua era feita de doce de pedra.
Em outra ocasião, Sai Baba estava fazendo algumas palestras para estudantes na escola onde ele havia começado seus estudos. Num determinado dia, ele lhes contava uma história sobre um colar de esmeraldas que Krishna usara sete mil anos antes. De repente, Sai Baba perguntou: "Vocês gostariam de ver esse colar de esmeraldas?" Com um movimento da mão, ele materializou o colar de Krishna e o passou pela sala para que todos pudessem vê-lo e tocá-lo. Quando todos fizeram isso, ele desmaterializou o colar e o mandou de volta para o seu lugar de origem.
Um devoto de Sai Baba contou um fato acontecido com um amigo dele. Esse seu amigo seguia os ensinamentos de Sai Baba, mas, na época, estava morando na Califórnia e passando por uma turbulência emocional que o levava a pensar em suicídio. Certa noite, ele finalmente decidiu tirar a vida. Pegou o rifle, carregou-o e estava para apertar o gatilho quando a campainha da porta tocou. Ele escondeu a arma debaixo do cobertor em sua cama, fechou a porta do quarto e foi ver quem era. À sua frente estava um amigo dos tempos do segundo grau, alguém que ele não via há uns vinte anos.
Esse amigo entrou sem cerimônias na sala, e os dois conversaram por algumas horas, o que animou um pouco o nosso protagonista. Então, inesperadamente, o visitante disse-lhe que precisava ir embora. Durante todo o tempo da visita, nosso homem não havia perdido de vista seu visitante, mas quando ele foi ao quarto buscar a arma, ela não estava mais lá. Ele teve uma vaga impressão de que Sai Baba tinha alguma coisa a ver com isso. Como não tinha mais arma, ele não poderia mais se suicidar, e acabou fazendo outra peregrinação à Índia. Nos primeiros dias de permanência no Ashram, Sai Baba o escolheu dentre a multidão para uma entrevista reservada com um grupo de umas vinte e cinco pessoas. Quando Sai Baba se apresentou para saudar o grupo, ele se dirigiu a esse homem, disse-lhe para segui-lo e o levou até umas das salas dos fundos. Ao entrar na sala, nosso amigo viu uma arma sobre a mesa. Ao examiná-la com atenção, ele viu que era o seu rifle. Sai Baba sorriu delicadamente e perguntou, "Você ainda está precisando disso?".
Certo dia, Sri Aurobindo, o grande mestre espiritual da Índia, estava meditando. Ao terminar a meditação, ele disse aos seus discípulos que Krishna havia descido ao mundo físico no dia anterior, 23 de Novembro de 1926. Esse é o dia do nascimento de Sai Baba.
Maomé, o fundador do Islamismo, profetizou a vinda do que ele chamava de "O Ser Dourado". Três profecias específicas diziam que o Ser Dourado seria de estatura baixa, teria uma pinta no rosto e viveria até os noventa e seis anos de idade. Isso descreve Sai Baba perfeitamente. As profecias dos índios Hopi falavam de um grande Avatar futuro que viria do Oriente e se vestiria de vermelho. Sai Baba sempre usa túnicas vermelhas e alaranjadas. Essas profecias foram bem específicas, e Sai Baba se amolda a cada uma delas.
Sai Baba diz que podemos conhecer um Avatar por meio de dezesseis sinais: controle das cinco funções do corpo, controle dos cinco sentidos do corpo, controle dos cinco elementos da natureza. Esses quinze primeiros sinais são obtidos através de práticas e de disciplinas espirituais. A décima sexta qualidade só é alcançada pela descida de uma Encarnação Divina, de um Avatar que alcançou a realização em Deus desde o nascimento - onisciência, onipresença e onipotência absolutas.
Quando alguém perguntou a Sai Baba se ele dorme, ele respondeu que somente dorme se ele quiser. Quando lhe foi perguntado por que ele realiza milagres, ele respondeu que faz isso para chamar a atenção das pessoas e orientá-las para Deus. Um milagre extraordinário que está acontecendo na Índia e no mundo é a criação da Cinza Vibuthi. Essa cinza sagrada é algo que Sai Baba cria com um giro da mão e que é usada com objetivos de cura e de bênção. Há algumas pessoas em todo o planeta cujas jarras e urnas estão sempre cheias de Vibuthi, e também nas fotografias de Sai Baba em todo o mundo.
Sai Baba diz que lê todas as cartas de pessoas que lhe escrevem. A única coisa que ele precisa fazer para saber instantaneamente o que a carta contém é tocá-la. Sai Baba diz também que ninguém sonha com ele sem que ele assim o deseje; portanto, se você sonhar com Sai Baba, é porque você já entrou em contato pessoal com ele. Uma das coisas boas sobre Sai Baba é o fato de que ele está encarnado fisicamente e é acessível tanto no sentido físico como no espiritual.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário